Telemedicina amplia atribuições com a CFM 2227/2018, viabilizando serviços médicos a distância

“Há várias situações em que até uma breve consulta remota pode evitar quadros complicados. Por isso temos todo o interesse em estimular as discussões desse canal”

Publicada no domingo, 03/02, a Resolução CFM 2227/2018 define e disciplina a telemedicina como forma de prestação de serviços médicos mediados por tecnologias. Isso significa que, a partir de agora, o paciente brasileiro poderá contar com serviços médicos que até então apenas poderiam ser feitos presencialmente, como consultas, discussão de diagnósticos, orientações e até mesmo triagem médica.

No contexto brasileiro, a Omint é a primeira operadora de saúde a atuar com telemedicina no Brasil e, com isso, adquiriu expertise para desenvolver o Dr. Omint Digital. Desde abril de 2018,  a plataforma está operante, colocando à disposição do cliente, em tempo real, um médico que possa auxiliá-lo em situações cotidianas, como informações sobre medicamentos, cuidados pré ou pós exames ou diagnósticos, alimentação, entre outros. Agora, a plataforma terá capacidade de ir além.

Critérios - Segundo Dr. Marcos Loreto, diretor Médico Técnico da Omint, embora signifique uma verdadeira revolução no relacionamento médico-paciente, a telemedicina deve ser realizada dentro de critérios robustos que garantam confiabilidade e sigilo. “Os dados e imagens devem trafegar pela internet com infraestrutura, gerenciamento de riscos para assim assegurar registro digital apropriado e seguro. Além disso, deve ser utilizado um registro eletrônico de informação para captura, armazenamento, transmissão ou impressão de informação digital, com garantias de segurança da informação. Isso é primordial para assegurar tanto a segurança quanto a conveniência do atendimento para ambas as partes”, ressalta.

O especialista ainda enfatiza que, no caso de prescrição médica a distância, ela deverá conter identificação do médico com número do conselho e endereço de atuação, identificação e dados do paciente, registro de data, hora e local, assinatura digital do médico. “Outra premissa fundamental é que o paciente ou representante legal autorize a transmissão de dados e imagens por meio de consentimento informado, livre e esclarecido. Seja por escrito, assinado, ou mesmo a gravação de leitura de texto e concordância”. Também é necessário que haja um profissional responsável técnico que responda pela operação da plataforma.

Tendências -  Além de viabilizar e otimizar os procedimentos médicos, a telemedicina, segundo Dr. Loreto, também pode colaborar para democratizar o acesso a consultas, diagnósticos e orientações, além  de estimular atitudes preventivas. “Na cidade de São Paulo, os moradores têm acesso, em média, a quatro médicos para cada mil habitantes. Já a população do Nordeste tem acesso à metade desse número. Em alguns Estados do Norte, esse número cai até para menos de um médico por mil habitantes”, comenta o especialista. “Há várias situações em que uma breve consulta remota pode evitar quadros complicados. Por isso temos todo o interesse em estimular as discussões desse canal que, além de gerar inúmeros benefícios na relação médico-paciente, pode cumprir papel fundamental para estimular as discussões sobre a medicina preventiva”, completa Dr. Loreto.

Sobre a Omint

A Omint iniciou suas operações no Brasil em 1980, com o lançamento do primeiro plano de saúde voltado ao segmento de alta renda do país, segmento em que hoje é líder de mercado. A Omint Saúde está entre as 500 maiores empresas do país, sendo a 2ª maior empresa argentina no Brasil e ocupando a 11ª posição em saúde, de acordo com o ranking Exame Melhores e Maiores|2018.

Em 1999, a Omint passou a atuar como fornecedor de serviços em odontologia, com a abertura de uma clínica própria, considerada uma das mais modernas da América Latina. Atualmente, ela conta com duas unidades em São Paulo, sendo a primeira do Ocidente a conquistar a certificação JCI (Joint Commission International), o mais importante selo de qualidade mundial para instituições de saúde.

No segundo semestre de 2015, o Grupo abriu a Omint Seguros para operar no ramo de seguro de pessoas. A empresa comercializa seguros de vida em grupo, seguros de vida individual e seguro viagem.

O Grupo Omint faturou R$ 1.4 bilhão em 2017, resultado de crescimento orgânico e sustentável.



Website: http://www.omint.com.br