Inteligência artificial deve aumentar a quantidade de postos de trabalho

Com novas tecnologias e o crescimento da robótica e inteligência artificial, o mercado de trabalho tende a mudar e o maior medo dos profissionais é perder o seu emprego para uma máquina. Porém, de acordo com as previsões da Gartner, as mudanças serão positivas e cerca de 2 milhões de novos empregos serão gerados em apenas cinco anos. Os especialistas afirmam que essas inovações auxiliarão os trabalhadores na realização das tarefas e não os substituirão completamente, além de que as empresas que tentarem fazer isso estarão fadadas ao fracasso, pois o consumidor em certos casos, ainda preferem interação humana na resolução de problemas e no atendimento como um todo.

Ainda mais otimista, um estudo divulgado durante o Fórum Econômico Mundial em Tianjian, na China, estima que a automação e a robótica criarão, até 2025, 58 milhões de empregos. O resultado foi calculado prevendo que 75 milhões de postos de trabalhos deixarão de existir em algumas áreas, porém 133 milhões de novas vagas serão abertas graças à evolução digital.

Todo o medo envolvendo a perda de trabalho por causa de mudanças, não é descabido. Em todas inovações significativas em épocas passadas, esse frenesi ocorreu, mas continuamos com o mercado de trabalho crescendo e novos postos surgindo. Há cem anos não era possível imaginar que existiriam vagas de emprego como programadores, web designers e outras carreiras ligadas a tecnologia. A Inteligência Artificial melhorará a produtividade e eficiência nas empresas, eliminando algumas posições de menor complexidade, mas criando novas oportunidades. No entanto, é recomendado que para aproveitar essa nova onda, os trabalhadores se aperfeiçoem e invistam em suas carreiras.

E os benefícios da inteligência artificial na produtividade não param por aí, segundo o Gartner, as empresas que optarem pelo uso dessa tecnologia devem gerar US$ 2,9 trilhões em valor comercial, recuperando 6,2 bilhões de horas de produtividade do trabalhador. Setores como a indústria e o varejo serão os mais beneficiados com a introdução da inteligência artificial em seus processos, reduzindo custos trabalhistas e garantindo eficiência das atividades. "A Inteligência Artificial não é criada para simplesmente automatizar todas as tarefas, é um processo de reinvenção e renovação da empresa que deve investir e se diversificar para alcançar bons frutos", explica Wagner Gimenez, CEO da InBot , empresa desenvolvedora de soluções com inteligência artificial.



Website: https://www.inbot.com.br/