Lean e Agile: da tecnologia para a gestão de pessoas

A metodologia ágil é muito conhecida no mercado de tecnologia, especialmente quando se trata de desenvolvimento de software. Mas e no campo da gestão de pessoas, estes métodos têm aplicação?

A resposta é sim, e quem corrobora é um especialista no assunto. Sócio-fundador e CEO da empresa de consultoria e treinamento Surya Gestão para um Mundo Digital, especializada no desenvolvimento humano e organizacional de grandes e médias empresas por meio de modelos de gestão, cultura e liderança baseados no pensamento Lean, Agile e Exponencial, Luiz Cláudio Parzianello é certeiro ao afirmar: "A essência do pensamento ágil, consolidada em um manifesto escrito e publicado em 2001, é evoluir a cultura empresarial para um modelo focado na colaboração, na entrega continua de produtos que agreguem valor ao cliente, na reflexão e melhoria contínua de suas pessoas, processos e modelos de negócios".

De acordo com Parzianello, a migração do modelo Agile da TI para o RH ocorreu porque a área de tecnologia, onde se originou o movimento, produzia (e ainda produz) muitos desperdícios por ter seus modelos de gestão baseados em princípios tayloristas do início do século passado.

"Os resultados conquistados com a mudança desse mindset, principalmente em áreas de inovação, são muitos. Acredito que não somente o crescimento exponencial da tecnologia, mas também os modelos de gestão disseminados pela cultura ágil contribuíram para a consolidação do que é chamado de Nova Economia, ou economia pós-digital", explica o consultor.

O especialista explica, ainda, que hoje já se fala em Agilidade Moderna, quadro no qual o desafio é entregar valor de forma contínua aos clientes e demais partes interessadas, mediante a contratação e o desenvolvimento de "pessoas incríveis que experimentam e aprendem rapidamente novos modelos de gestão e tecnologia".

Entretanto, nada disso é possível sem um ambiente organizacional livre de medos, sustentado por uma segurança psicológica que somente os verdadeiros líderes inspiradores e coaches são capazes de desenvolver na organização.

Para Parzianello, algumas questões a serem feitas antes de implementar o modelo em qualquer empresa são:

- Será que a gestão de pessoas tem interesse, responsabilidade ou autoridade sobre esta mudança?

- Os profissionais da área de gestão de pessoal estão em linha com este processo de mudança?

Perguntas que o diretor de Desenvolvimento Humano do SEPRORGS, André Streppel, responde com argumentos.

"É imprescindível que as áreas de gestão de pessoas estejam atentas às mudanças de suas equipes e, principalmente, saibam agir quando necessário. Por isso a metodologia ágil aplicada à gestão de pessoal torna-se tão importante neste momento", esclarece Streppel.

Segundo ele, as empresas precisam estar abertas às novas formas de gestão, ao aprendizado e à aplicação de metodologias diferentes das tradicionais.

Elementos que a metodologia ágil traz em seu DNA.

Além disso, o método ágil parte da identificação de erros e aplicação de melhorias no processo de forma mais rápida, o que contribui de forma galopante para o incremento da motivação, produção e administração nas organizações de todos os setores.

O assunto foi tema de palestras que Parzianello ministrou em encontros do Grupo de Gestão de Pessoas, evento realizado pelo SEPRORGS sob a batuta de Streppel.

"As empresas de TI têm maior facilidade para lidar com mudanças. Então, o encontro de Grupo de Gestão de Pessoas vem para que companhias de áreas diversas possam trocar conhecimento e experiência", finaliza o diretor de Relacionamento Humano.