STILINGUE responde: “Como estão as eleições 2018 nas redes sociais e quais são os temas mais discutidos sobre cada candidato às vésperas do 1º turno?"

“Esse estudo confirma o poder e a capacidade da Inteligência Artificial para analisar e resumir insights relevantes sobre as eleições. (Rodrigo Helcer,CEO)”

Às vésperas de uma das eleições mais concorridas e debatidas da história do Brasil, como seria possível analisar o cenário da corrida presidencial na Internet, os principais insights e influenciadores respondendo à uma única pergunta: "Como estão as eleições nas redes sociais e quais são os temas mais discutidos sobre cada um dos candidatos"?

Para isso, a STILINGUE, líder nacional em softwares de gestão da experiência de clientes, influenciadores e comunidades digitais fortalecida com Inteligência Artificial (IA) para o Português (PT-BR), realizou um estudo aprofundado com o objetivo de apresentar a ‘voz’ do eleitor brasileiro na Internet e o buzz gerado nesse ambiente, baseado em uma análise puramente qualitativa (e não estatística) do comportamento do brasileiro, não refletindo sob nenhum aspecto o comportamento da população votante fora das redes sociais.

A empresa não tem a intenção de direcionar posicionamento político ou fornecer projeção a qualquer candidato. Os dados apresentados no estudo são resultado da utilização da ferramenta da STILINGUE focada para big data e estruturada em Processamento de Linguagem Natural (PLN) e Machine Learning.

Metodologia analisou informações durante todo o período da campanha

Para o desenvolvimento do estudo e coleta das informações, foi analisado o buzz gerado a partir dos comentários públicos e abertos disponibilizados pelas redes sociais no período de 1º de abril a 1º de outubro de 2018 (desde o anúncio oficial dos candidatos até o final da propaganda eleitoral), abrangendo um total de 18 milhões de publicações. As mídias coletadas foram Twitter, Instagram, Facebook, YouTube, portais, blogs, comentários de portais e blogs e imprensa.

Os candidatos pesquisados para o levantamento foram: Fernando Haddad (PT), Marina Silva (REDE), Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PSL), Álvaro Dias (PODEMOS), João Amoêdo (NOVO), Henrique Meirelles (PMDB), Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU), José Maria Eymael (PSDC), Cabo Daciolo (PATRIOTAS) e João Goulart Filho (PPL).

Para determinar a classificação das temáticas, as menções foram classificadas entre candidatos e temas. Os temas identificados para os candidatos incluíram saúde, educação, política externa, investigações (operações e denúncias que o candidato pode estar envolvido), debates, manifestações e movimentos, ciência e tecnologia, economia, emprego e previdência, meio ambiente, mobilidade urbana, segurança, cultura e arte, drogas, esporte, educação, turismo, infraestrutura, habitação, pauta feminista, pauta LGBTQI+, direitos humanos e questões indígenas.

O contexto eleitoral do Brasil na Internet: o que tem sido falado e o que impulsiona o eleitor a se posicionar nas redes sociais

O contexto político do país é impulsionado por eventos e grupos organizados que geram buzz, expõem suas opiniões dentro do contexto democrático e promovem discussões. Durante todo o período eleitoral, houve uma clara evolução nas publicações nas redes sociais a partir de 21 de maio, quando surge a #LulaLivre em comunidades e coincidindo com o período da greve dos caminhoneiros no país. Outros picos são registrados no início de agosto (+ de 77 mil publicações), com o primeiro debate eleitoral entre os candidatos; no final de agosto (84 mil publicações), com a entrevista de Jair Bolsonaro no Jornal Nacional; no início de setembro, quando ocorreu o atentado à Jair Bolsonaro (+136 mil), e no final de setembro, com a publicação da análise da revista The Economist e o fortalecimento do movimento #EleNão (120 mil). No final da análise, em 1º de outubro, foram registradas mais de 155 mil publicações relacionadas aos candidatos. (Gráfico 1)

Em relação ao volume de citações dos candidatos nos últimos seis meses, a concentração maior girou em torno de Jair Bolsonaro, principalmente a partir do final de julho. No total, o candidato do PSL obteve 2,8 milhões de citações durante o período, seguido por Ciro Gomes (538 mil), Geraldo Alckmin (450 mil) e Fernando Haddad (264 mil). Os outros candidatos, somados, tiveram um total de 661 mil citações. (Gráfico 2)

E quais foram os temas mais falados sobre cada um dos candidatos durante a corrida eleitoral? Os assuntos mais citados foram: segurança, corrupção, educação e economia. Outros tópicos de destaque envolveram imprensa, debates, pesquisas de opinião, ciência e tecnologia, cultura e arte e saúde. (Gráfico 3

Segurança é destaque na maior parte dos candidatos, especialmente Jair Bolsonaro, com Geraldo Alckmin e Ciro Gomes em menor escala. O candidato do PSL, por sinal, tem maior volume de citações em quase todos os quesitos. Já Geraldo Alckmin (PSDB) tem maior recorrência em citações relacionadas à segurança, corrupção e educação. Ciro Gomes, do PDT, tem mais destaque em menções relativas à segurança, corrupção e imprensa.

Sobre o que o brasileiro fala No gráfico correlacionado de termos envolvendo todos os candidatos à Presidência, a grande maioria das publicações contém o nome dos postulantes, mas termos como ‘família’, ‘Brasil’, ‘certeza’, Deus’, e ‘segundo turno’ também tiveram maior repercussão. Os termos citados trazem a preocupação do eleitor brasileiro com o País ‘escolas’, ‘corrupção’, ‘filhos’; com o próprio andamento do pleito, com destaque para ‘voto’, ‘eleições’, ‘chance’, entre outros. (Gráfico 4)

A evolução do buzz dos candidatos: citações positivas e negativas Quando é observada a distribuição das citações consideradas ‘positivas’ sobre os candidatos, Jair Bolsonaro (azul) lidera, enquanto Ciro Gomes (laranja) segue estável, com leve queda. Fernando Haddad (vermelho) cresce nas últimas semanas, especialmente no início e final do mês de setembro. (Gráfico 5)

Já no painel que analisa a distribuição das citações consideradas ‘negativas’ sobre os candidatos, Jair Bolsonaro também aparece acima e, na sequência, encontramos Haddad, Ciro e Alckmin. (Gráfico 6)

A análise da STILINGUE também levou em consideração o ‘mapa de calor’ de cada um dos candidatos em relação às regiões do país, baseado em citações que são feitas com o recurso de geolocalização ativado. 



Website: http://www.stilingue.com.br