Férias online: como utilizar o Wi-Fi gratuito com segurança

É inevitável não pensar o quanto a internet traz comodidades para a humanidade, ainda mais quando os aparelhos móveis são inseridos nessa realidade. Hoje com um sinal de Wi-Fi ou 4G/3G se acessa e se faz quase tudo de qualquer lugar, desde comprar produtos, pagar contas, assistir vídeos, chamar taxis, etc.

Segundo estudo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), com o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), e com o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), 89% das pessoas utilizam a internet através do celular, seguido de 40% pelo computador de mesa, 39% por computador portátil ou notebook, 19% por tablet, 13% pela televisão e 8% por videogame, sendo que a conexão mais utilizada no celular é o Wi-Fi, com 87% dos usuários.

Não é à toa que a cada dia se encontram mais pontos de acesso à internet Wi-Fi de forma livre e gratuita pelas cidades, principalmente, em cafés, aeroportos, shoppings, restaurantes, hotéis e, até mesmo, em algumas praças públicas.

Por praticidade ou economia, tornou-se cada vez mais comum ouvir em estabelecimentos públicos a frase: "Qual a senha do Wi-Fi?".

Segundo a especialista em infraestrutura de TI da IT Line Technology, Sylvia Bellio, tanta facilidade remota pode ter um preço alto se não forem tomados os devidos cuidados para utilizar esta tecnologia. "As redes públicas de acesso à internet gratuita, se estiverem desprotegidas, são alvos fáceis para os hackers acessarem todo o conteúdo do seu dispositivo móvel e roubarem dados pessoais ou financeiros", esclarece Sylvia.

Como não é possível garantir se o estabelecimento que fornece o Wi-Fi livre tem uma política de segurança adequada, Sylvia Bellio alerta para os principais cuidados que devem ser tomados ao acessar redes Wi-Fi em locais públicos.

1. Certifique-se com um funcionário do local o nome correto da rede oficial do estabelecimento, pois hackers costumam criar redes com nomes similares para confundir e fazer as pessoas se cadastrarem por engano na rede deles.
2. Desabilite a opção conectar-se automaticamente as redes Wi-Fi, para não correr o risco de acessar uma rede mal-intencionada.
3. Use senhas elaboradas para proteger seu acesso às contas e equipamentos. É recomendado atualizá-las periodicamente.
4. Digite a senha propositalmente "errada", na primeira vez, para verificar se o site aponta o erro. Caso isso não ocorra, desconfie.
5. Proteja seu equipamento de ataques virtuais, instale um bom antivírus e, se possível, adquira também um firewall. Faça sempre que necessário as atualizações solicitadas pelo sistema. Elas corrigem falhas que tornam os programas mais vulneráveis.
6. Em locais púbicos procure desabilitar o compartilhamento de arquivos e impressoras.

"O Wi-Fi é uma comodidade que deve ser aproveitada, o segredo está em usá-lo com consciência, acessar remotamente só as informações mais básicas e evitar fazer transações bancárias e compras quando estiver conectado em redes públicas", adverte a especialista.



Website: http://www.itltech.com.br