Três dicas para aproveitar melhor a Internet das Coisas

Quando falamos em futuro parece algo distante, mas quando o associamos à tecnologia já não parece tão distante assim, isso porque a cada minuto algo novo é projetado, lançado e aquilo que parecia que aconteceria somente anos à frente, de repente, já está na palma das nossas mãos.

Para quem é dos anos 80 e assistia Os Jetsons não imaginava que toda a tecnologia apresentada no desenho fosse um dia se tornar realidade. Mas o que era apenas fruto de uma fértil imaginação que virou desenho, agora é uma realidade para quem pensa e cria tecnologias.

Um dos mais recentes e, pelo visto, permanente avanço da tecnologia chama-se "Internet de todas as coisas", do termo americano Internet of Things - IoT. Fora da ficção a Internet das Coisas conhecida como IoT está começando a ser cada vez mais uma realidade no mundo. O termo é usado para especificar qualquer aparelho ou dispositivo que podem receber conexão a partir de algum desenvolvedor. Uma mente criativa pode pensar em uma ideia mirabolante para que, por exemplo, uma geladeira seja usada da forma mais interativa possível, como informando cada item que tem dentro de si sem precisar que ninguém vá até, por meio de mensagem enviada para celular, quais itens estariam faltando prevendo, assim, a necessidade dos donos da casa.

O conceito consiste em promover conexão de objetos, eletrodomésticos e qualquer tipo de produto com a internet, ou seja, tornar possível que itens como uma lâmpada, um aspirador de pó, uma batedeira, entre outras milhares de coisas possam realizar ações que, normalmente, não fariam sem que um ser humano interagisse fisicamente. O desempenho de novas funções é controlado apenas por um celular ou tablet que esteja conectado a internet móvel ou rede Wi-fi. Digamos que você saia de casa e com a correria do dia a dia esquece as janelas abertas, com a internet e um aplicativo poderá confirmar se está tudo bem na casa e, ainda, fechá-las à distância.

Sylvia Bellio, fundadora da IT Line Technology - maior canal de vendas da Dell EMC no Brasil - escreveu o livro "Simplificando TI" e nele fala sobre IoT. "Essa tecnologia é algo incrível e só mostra o quanto os avanços nunca vão parar, além de estarem surgindo com cada vez mais velocidade. Como consumidora sei que isso facilitará muito nossas vidas", declara Sylvia. A empresária ainda explica que a IoT não serve só para coisas do dia a dia e de dentro de casa, "Não vai ter como fugir dessa evolução e todas as organizações terão que investir em IoT ou vão correr o risco de ficarem para trás", explica.

Segundo ela, para que a tecnologia seja algo efetivo e seguro para as empresas, alguns pontos precisam ser observados: aumento na capacidade de processamento de dados, investir em segurança digital e mudar a própria cultura da companhia.

1 - Aumento da capacidade do processamento de dados

Para que uma empresa consiga usufruir dos benefícios da IoT uma das dicas é investir em uma estrutura capaz de processar e armazenar qualquer dado que circule em sua plataforma. A aquisição de novos equipamentos para a transmissão, provavelmente, será necessária.

2 - Investir em segurança digital

Uma das preocupações é a invasão de hackers nos sistemas e, consequentemente, nos aparelhos. Há relatos de pessoas que tiveram sua vida particular observada por meio da conexão dos aparelhos. Com isso, Sylvia diz que a segurança digital é algo que precisa de cuidados. Garantir a segurança dos dados tem que ser primordial. Uma das dicas é se precaver para que apenas pessoas autorizadas sejam responsáveis por utilizar, alterar e programar os sistemas para que dados de produtos ou informações sigilosas dos clientes não estejam em risco.

3 - Mudança na cultura da empresa

Gestores e funcionários terão que abrir a mente para entender que o avanço é necessário. Com o conceito IoT muito do que entendemos como forma de trabalho hoje vai mudar, um exemplo disso é que muitas empresas estão aderindo ao home-office, sistema de trabalho em que a pessoa faz todas suas tarefas de casa mantendo-se conectada o tempo todo. A internet das coisas vai permitir medir, por exemplo, a produtividade de quem atua no mercado nesse formato, além de ser uma importante economia para a empresas em relação a locação de espaços e despesas com transporte. Isso tudo vai cooperar para a qualidade de vida do funcionário, o que impacta diretamente no seu desempenho e nos resultados.

Muito desse processo de aumento no volume de ideias como essa vem do fato de que o número de pessoas com acesso à internet não para de crescer. Em 2016, pelo menos, 116 milhões de brasileiros se conectaram à internet. Isso quer dizer que 64,7% dessas pessoas tem dez anos em diante, de acordo com o IBGE. Em 2015 esse número estava em 102, 1 milhões, o que representa 57,5% da população.

"Esse progresso não vai parar nunca e nós temos que aceitar isso e incorporar à tecnologia como parte das nossas vidas, seja dentro das nossas casas ou de maneira corporativa. O importante é perceber que o avanço já está acontecendo e entender que ele está a nosso favor", diz Sylvia.



Website: http://www.itltech.com.br