Players brasileiros crescem na esteira do BI, cujo mercado chega a US$ 26 bilhões

O mercado de soluções de Business Intelligence e Analytics deverá saltar de US$ 17,9 bilhões em 2015 para US$ 26,78 bilhões até 2020, em uma Taxa Composta Anual de Crescimento de 8,4%, conforme pesquisa da MarketsandMarkets.

Já um estudo da IDC indica que até 2019 as empresas deverão adotar tecnologias de BI e BA obrigatoriamente para participar da Transformação Digital. Algo que parece já estar sendo ouvido pelas companhias, visto que, em levantamento realizado pela Forbes Insights, dois terços dos entrevistados afirmaram estar propensos a investir em BI em breve.

De 449 executivos ouvidos pelo estudo da Forbes, 60% destacou que pretende ampliar investimentos em soluções de BI, especialmente as da linha self-service,para garantir crescimento. Movimentos de mercado que mostram tentáculos também no Brasil, onde players do segmento demonstram crescimento em função da acelerada demanda.

Um caso é a BIMachine, desenvolvedora de soluções em business intelligence para o mercado brasileiro. A empresa incorporou a marca SOL7, consultoria da área, e, em seguida, inaugurou uma nova sede em Lajeado, no Rio Grande do Sul, ampliando e modernizando a estrutura da empresa em um espaço total de 500 m², que abrigará os mais de 30 funcionários, entre equipes administrativas e técnicas.

A inauguração oficial contou com a presença de clientes, parceiros, prospects e colaboradores, que conheceu em primeira mão o novo espaço da BIMachine.

Com um desenho inspirado em empresas de ponta do mercado internacional, a nova sede conta com espaços de convivência, estações e trabalho e salas de reunião integradas para um ambiente ainda mais colaborativo.

Para Douglas Scheibler, CEO da BIMachine, a nova casa da empresa é um espaço renovado para receber clientes e parceiros, que terão uma experiência diferenciada para conhecer os produtos da companhia e ver de perto o trabalho que é realizado por sua equipe.

"É um espaço que planejamos por um bom tempo para ser um espaço de trabalho, mas também de convivência, trazendo clientes para perto da empresa, a fim de nos tornarmos mais produtivos e conectados com o mercado", avalia Scheibler.

Para Augusto Fleck, diretor de tecnologia da companhia gaúcha, a nova sede também marca um novo momento, puxado pela consolidação das operações com a SOL7 Tecnologia para firmar o nome BIMachine, de olho na expansão nacional de sua operação.

Falando em expansão, Scheibler também destaca que a nova sede também abre caminho para o crescimento futuro da equipe da BIMachine. Para 2019, o plano da empresa é aumentar o quadro em 50%.

"Estamos em um momento muito especial para a empresa, em que renovamos nossos produtos, renovamos nossa postura no mercado. Portanto, renovar nossa presença física, com uma nova sede, é uma forma de marcamos esta nova fase da empresa, para alçar vôos mais altos com nossos times e parceiros", finaliza Scheibler.