Adquirência pode ganhar player inovador

Vanderlei Rosa da Silva, nascido em Guarulhos há 47 anos, é um empreendedor nato. Há cerca de três anos, emplacou uma grande transação comercial - fruto da sua experiência de duas décadas em meios eletrônicos de pagamento - com uma das maiores empresas mundiais do segmento de cartões de benefícios. O acordo envolveu algumas dezenas de milhões de reais. A quantia poderia aquietar sua rotina diária ou abrandar sua hiperatividade, mas não. Ela o estimulou a pensar além e, assim, fundar outros quatro negócios - as empresas Paynet, Delivery Pay, Plus4u e Logics4u -, cujas expectativas são ainda mais douradas que o primeiro.

Foi um momento disruptivo, como ele próprio classifica. "Após fechar o acordo de venda da empresa Foco Group, decidi mudar e investir em outros serviços que já vinham sendo analisados há alguns anos - porém, me mantendo no mesmo segmento e direcionando as atividades para outro nicho que estava em plena transformação: a captura de transações financeiras e a implantação de sub-credenciadores", revela.

Foi a partir daí que o empresário viu a necessidade de ter um espaço próprio para acomodar suas novas iniciativas, mas com identidade própria. Era absolutamente essencial ter um ambiente tecnológico, inteligente, funcional e com capacidade para rápida expansão. O primeiro ponto era não dividi-las em endereços ou áreas fisicamente distintas. "Precisava de um espaço onde todos os atores, independentemente do cargo ou da atividade desenvolvida, ficassem próximos, pois existe uma interconexão natural entre meus negócios e, consequentemente, entre as pessoas que estão envolvidas com eles", resume. A solução foi adquirir 400 metros quadrados numa torre localizada num dos mais concorridos corredores de Alphaville, na cidade de São Paulo: a Alameda Araguaia.

Entretanto, quem conhece a dinâmica dos negócios sabe que a atmosfera do nicho em que Vanderlei atua (meios eletrônicos de pagamento, especialmente fintechs e startup) não pode ser similar às de escritórios sisudos. "Contei com o auxílio valioso de duas arquitetas. Porém, fui eu que pensei e idealizei cada detalhe, desde os postos de trabalho - que nem de longe lembram aqueles exíguos nichos sobre bancadas áridas - aos painéis de vidros que emolduram salas - os quais, com um simples clique num controle remoto, garantem privacidade absoluta a partir de um processo fotoelétrico", exemplifica.

Ao todo, Vanderlei investiu em torno de R$ 5 milhões em seu novo ponto empresarial. Deste montante, cerca de 25% foram empregados nas reformas e infraestrutura do imóvel. Como o local tem capacidade para, aproximadamente, cem pessoas envolvidas em desenvolvimento de grandes negócios com alta tecnologia - fator este propício à elevação do estresse -, ele idealizou o que passou a ser conhecida como "área de descompressão", estrategicamente posicionada próxima à copa. "É um espaço onde o funcionário pode relaxar", resume. "Sabemos que a produtividade aumenta após alguns minutos de relaxamento. Por isso, essa área tem, entre vários elementos, uma grande tela com acesso a canais de tevê a cabo, videogame e tabuleiros com jogos da velha e damas - inusitadamente verticais, cujas peças imantadas permitem sua utilização com os jogadores em pé, o que favorece a ergonomia e movimentação", detalha o empresário.

Nascido em uma família de poder aquisitivo limitado, Vanderlei conta que conquistou seu lugar no mundo empresarial trabalhando bastante. "Não me considero um workaholic, mas um workalover", brinca. "Meus dias úteis não precisam ser entre segunda e sexta-feira e minhas jornadas de trabalho não precisam ser limitadas entre oito e dez horas diárias; assim como meus finais de semana não são aos sábados e domingos", diz. "Quem ama o que faz não escolhe dia nem horário para trabalhar, assim como não predefine os dias e horários que devem ser dedicados à família e atividades sociais", completa.

A inauguração do novo espaço, em estilo petit comité, reuniu amigos e empresários do setor, no início da noite do último 14 de setembro. "Este momento representa uma realização, um resultado suado, fruto de muito trabalho, empenho e dedicação. Representa chegar aonde poucos chegam e mostra que não importa de onde viemos e nem onde estamos", pontua. "Se pararmos de reclamar, de nos acomodarmos e de nos mantermos reféns do medo, podemos realizar muito", sugere Vanderlei.