Conflito entre EUA e China aumenta a venda da soja brasileira, pilar da empregabilidade segundo especialistas em recolocação

“O agro manifesta o potencial produtivo do Brasil. Diante da crise profunda vivida nos últimos dois anos, o setor sustentou a empregabilidade”

De maneira atípica, o Brasil pode se ver obrigado a importar um dos seus principais produtos, a soja. Diante do conflito comercial entre EUA e China, o país tem aumentado seus embarques atingindo recordes históricos, o que o fará importar o grão para dar conta da demanda interna. O grão americano, mais barato que o brasileiro em função da menor procura dos chineses, é a opção disponível para dar resolver o problema.

Entretanto, variedades de sojas transgênicas ainda não tiveram seus registros devidamente aprovados para plantio e consumo no Brasil, o que pode impedir a importação. De acordo com autoridades sanitárias, existem cerca de 20 tipos de grãos modificados geneticamente aprovados nos EUA, com características que vão de tolerância a herbicidas à resistência a insetos. Já o Brasil, aprovou 16 tipos, com genes combinados ou simples.

No entanto, a despeito das dificuldades protocolares com relação às legislações específicas, pode-se dizer que o Brasil tem sido beneficiado pela disputa entre os gigantes do comércio mundial, e isso pode trazer grandes vantagens no reposicionamento do país no curto e longo prazos.

Marcio Pereira CEO da United HR, empresa com sede na Avenida Paulista, que atua na contratação para diversos setores da economia, destaca a importância da agropecuária para a economia nacional. "O agro manifesta o potencial produtivo do Brasil. Diante da crise profunda vivida nos últimos dois anos, o setor sustentou a empregabilidade e é um pilar importantíssimo para o desenvolvimento do Brasil", comentou o CEO,

Produzida inicialmente na região Sul do país, a soja cresceu de forma acelerada a partir da década de 1970. Atualmente, o Centro-Oeste é a principal região produtora, sendo o Mato Grosso o principal estado. A expansão da soja significa que a ocupação de terras que anteriormente produziam alimentos, seja para o próprio consumo das famílias locais, seja para o abastecimento do mercado interno, está voltada para a produção dessa oleaginosa - em sua maioria de base transgênica - que tem como principal destino o mercado externo.

Os produtores de soja, ao longo das últimas safras, ganharam um importante aliada no combate às lagartas que atacam à lavoura: a Biotecnologia. A biotecnologia utilizada para o controle de lagartas vem mudando o jeito de se produzir soja no país. São incorporados nas plantas alguns genes que produzem proteínas letais a algumas espécies de lagartas, fazendo com que a planta fique resistente a estes insetos. Essa tecnologia é conhecida como Tecnologia Bt, pois os genes utilizados têm sua origem na bactéria Bacillus thuringiensis.



Website: http://unitedhr.co